VERDE AMEAÇADO - MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM EXTINGUIR MAIS DE UM TERÇO DAS PLANTAS DO MUNDO

05/12/2019

Com base em estudos, um grupo de cientistas chegou à estimativa de que existem cerca de 435 mil espécies de plantas no mundo, sendo que 36,5% delas são raras e estão ameaçadas de desaparecer devido às mudanças climáticas. Os estudiosos tiraram essa conclusão depois de pesquisar os registros existentes em várias partes do planeta.

No Brasil, a Mata Atlântica e o Cerrado são alguns dos biomas que mais apresentam variedade em plantas e, lamentavelmente, os dois têm histórico de devastação. A Mata Atlântica, por exemplo, apresenta 88% de área degradada, enquanto o Cerrado tem aproximadamente 46%.

São exemplos de áreas cuja biodiversidade pode sofrer ainda mais, caso as emissões de gases de efeito estufa mantenham o nível atual, segundo o estudo publicado no final de novembro.

Um fato que chamou atenção, segundo mostrou o levantamento, é que justamente as áreas que mais concentram espécies raras estão 1,2 vezes mais suscetíveis a sofrer impactos das mudanças climáticas do que as demais.

Isso porque, historicamente, elas apresentaram climas mais estáveis que o restante do planeta, mas agora vão enfrentar mudanças tanto quanto as demais regiões. E na lista de locais ricos em espécies raras e ameaçadas, climaticamente falando, destacam-se o Sudeste Asiático e os Andes da América do Sul.

O biólogo Danilo Neves, professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), é um dos autores da pesquisa que reuniu estudiosos de todos os continentes.

E quando ele cita o Brasil, lembra que boa parte das informações é coletada geralmente em locais próximos dos grandes centros de pesquisas e universidades. Danilo também observa que muitas das espécies raras ficam em regiões que sofrem muita pressão da ação humana e geralmente estão perto dos grandes centros urbanos.

Em Minas Gerais, por exemplo, a existência de espécies raras aparece mais em áreas de campos rupestres que são, na verdade, a vegetação rasteira do alto de serras. E elas estão presentes na serra do Cipó e na serra do Gandarela. Uma das espécies incomuns é a Anthurium cipoense, um tipo de antúrio que só foi registrado nesses dois pontos.




Veja também

 1 2 >  »